lunes

Entrevista com Luciana Dadian

“Todas as vezes que o Ricky veio com o Menudo ao Brasil e em carreira solo até a música “Maria” estourar mundialmente eu o encontrei... tínhamos ficado amigos”.




Você pode até não conhece-la mas Luciana Dadian já está virando famosa, como tantos artistas que ela sempre gostou e acompanhou suas carreiras desde que ela era adolescente. Já foi entrevistada por vários programas de Tv para contar suas histórias com os ídolos e passou de fã a amiga de muitos artistas! Nesta entrevista ela conta como tudo começou!

Nome: Luciana Dadian
Data de Nascimento: 25-05
Signo: Gêmeos
Lugar de Nascimento: São Paulo - Brasil
Ama: Meus pais e meu irmão
Odeia: Pessoas interesseiras
Tua cor preferida: Vermelho
Se você tivesse que levar seu reprodutor de mp3 a uma ilha deserta quais são as músicas que não poderiam faltar? Xiii... bom, no mp3 dá para colocar muita coisa né? (risos)... eu faria uma mescla de estilos para ouvir dependendo do astral no dia.. incluiria várias do Chayanne, do Ricky Martin, Luis Miguel, Menudo, Dominó, Luciano Nassyn, Michael Jackson, Bon Jovi, A-ha, e também do Marcelo Augusto, Roberto Carlos, Ivete Sangalo, Titãs, Roupa Nova ...
Cantor preferido: nacional: Roberto Carlos; internacional: Michael Jackson
Cantora preferida: nacional: Ivete Sangalo; internacional: Madonna
Banda ou grupo preferido: nacional: Titãs; internacional: Bon Jovi
Canção preferida: It’s my life (do Bon Jovi)
Teu filme preferido: Ghost, do outro lado da vida
Um ator: nacional: Tony Ramos; internacional: Richard Gere
Uma atriz: nacional: Patrícia Pilar; internacional: Julia Roberts

Luciana, quando começou o seu interesse pela música e pelos artistas?
Em 1980 comecei a jogar vôlei e acompanhar a seleção brasileira masculina de vôlei...me tornei amiga dos jogadores da época, que hoje são nomes consagrados como o Bernardinho que é o atual técnico da seleção masculina Brasileira. Mas foi em 1984, quando o grupo Menudo começou aparecer no Brasil com a música “If you’re not here” sendo tema de novela é que este interesse tomou uma proporção maior... eu me apaixonei pelo grupo e comecei “correr atrás” do meu sonho de conhece-los... quando vieram ao Brasil pela primeira vez em 1985 para fazer show, fui à porta do hotel, ao show no Morumbi onde havia 200.000 pessoas, mas não consegui chegar muito perto... no mesmo ano eles voltaram para uma turnê maior e passaram uma semana em São Paulo, ai sim consegui tirar fotos, pegar autógrafos. Nesta mesma época surgiu o Grupo Dominó, um grupo nacional, no mesmo estilo do Menudo, me apaixonei por eles também, fui atrás, conheci e assim foi o começo de tudo!

Qual foi o primeiro disco que você comprou?
Nossa...faz tanto tempo...era disco de vinil ainda... acho que foi a trilha sonora do filme Grease.

Você era fã de muitas famosas boybands dos anos 80 (Dominó, Polegar, Menudo), mas você conseguiu uma coisa que muitas poucas conseguem, virar amiga de muitos artistas... como foi passar de ser fã a ser uma amiga?
Foi uma coisa muito natural para mim, porque apesar de ser fã, de ir aos shows, ao escritório, aos programas de tv e rádio, eu sempre “soube meu lugar de fã”,  sempre os respeitei muito, não invadia a privacidade deles; eu era uma fã comportada, daquelas que não chorava, não puxava, “não queria arrancar um pedaço” (risos), e sempre estive acompanhada da minha mãe e do meu irmão, o que chamava atenção dos meninos e os fazia puxar assunto conosco. Tudo o que eu queria era pegar um autógrafo, tirar uma foto, conversar e era o que eu fazia. Com o tempo conquistei o carinho, o respeito e a amizade deles e em alguns casos, das famílias deles também.

Você também conhece o Ricky Martin e tem muitas fotos com ele, como você conheceu ele?
Foi na época do Menudo; além de ir aos shows, eu ia aos encontros que faziam com fãs, ele tinha acabado de entrar no grupo, e era aquela fofura que todas queriam pegar no colo, cuidar (risos). Em um dos encontros (em 1986), minha mãe falou para ele que eu tinha um sonho, que era carrega-lo no colo, na hora não acreditei; (mais risos) e para minha surpresa, ele me mandou sentar na cadeira que ele estava, sentou no meu colo, e ficou dando autógrafos para as fãs, ali, sentado no meu colo! Foi um dia inesquecível, depois disso, todas as vezes que o Ricky veio com o Menudo ao Brasil e em carreira solo, até a música “Maria” estourar mundialmente eu o encontrei... tínhamos ficado amigos. Depois disso, devido ao sucesso mundial e a quantidade de seguranças que impede o acesso a ele, só o vejo em shows.

Você deve ter muitas histórias divertidas para contar da época que você conheceu todos estes artistas, tem alguma que você possa contar?
Tenho sim, uma que rende muito assunto e muitas risadas até hoje: participei de uma gravação para o programa Viva a Noite, que o Gugu apresentava; participei do quadro “sonho maluco”, onde eu havia mandado uma carta pedindo para passar meu aniversário de 19 anos com o Grupo Dominó. A gravação foi na minha casa; em uma das cenas os meninos tiveram que“fingir” que estavam preparando um bolo de aniversário para mim, é claro que só poderia terminar numa “guerra” de ovo, farinha, catchup, pedaços de um bolo semi pronto que seria utilizado na gravação... foi uma sujeira enorme, pela casa toda, pelo quintal, e também na rua, que estava lotada de pessoas, os meninos saíram todos sujos, jogando farinha em quem estava lá e é claro, me sujaram inteira também.

Quais são os artistas que você conheceu e que você ainda mantém contato? 
Mantenho contato e amizade até hoje com o Marcelo Augusto (cantor, ator e apresentador), o Luciano Nassyn (cantor, que fez parte do Grupo Trem da Alegria), os meninos que eram do Dominó: Afonso Nigro, Marcos Quintela, Marcelo Rodrigues, Italo Coutinho, Rodrigo Lázaro, Rodrigo Phavanello, Rodrigo Faro, as meninas que eram do Grupo Meia Soquete: Calu, Débora, Cinthya e Adriane Galisteu, os meninos do Grupo Polegar: Alex, Rafael, Marcelo e Alan, o Ronaldo Gonçalves que foi “maroto”, o Julio Rocha (que é ator) e com vários jogadores e jogadoras de vôlei.

Já pensou em fazer um blog ou escrever um livro sobre todas as suas histórias com os famosos em todos estes anos?
Muitas pessoas já me pediram para fazer um blog; estou pensando no assunto!

Qual é a canção que você nunca cansa de ouvir?
“Não se reprima”, do Menudo.

Todos temos uma música especial por alguma coisa, você gostaria de contar qual é a sua e porquê?
São muitas, mas vou escolher uma que tem uma mensagem linda, que resume minha relação com vários "famosos” que citei aqui, e que foi tema dos Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992, é a música “Amigos para sempre”.

Tem algum artista que você ainda não conhece e gostaria de conhecer?
Brad Pitt... (risos) aí eu sonhei alto né?

Para terminar a entrevista, uma frase...  
“Vá firme na direção da sua meta, porque o pensamento cria, o desejo atrai e a fé realiza”.