lunes

Por onde andam os ex-integrantes de algumas famosas "Boybands" dos 80s/90s - Terceira Parte

Eles foram ídolos adolescentes de famosos grupos entre os 80s/90s, tiveram tudo: fama, sucesso e dinheiro. Depois que saíram dos grupos realizaram diferentes atividades, alguns continuam no meio artístico e outros já não. Saiba o que eles andam fazendo:

Egon Barbosa: Ex- integrante dos Paquitos


Egon Barbosa foi um dos integrantes dos Paquitos da Xuxa nos 90s. Naquela época Egon era conhecido como o Paquito Gigio.
Sobre aquela fase Egon diz: "Aquela fase coincidiu com o momento de sonho dos adolescentes. O Brasil tinha poucos anos de democracia, em que descobríamos ainda que desbravar seu próprio caminho era um direito. O show biz crescia de forma assustadora e tudo ao redor da Xuxa brilhava. Era um feliz encontro entre a liberdade de escolha e a oportunidade de expressar-se, através do talento. Era um sentimento de autonomia muito grande". Entre as melhores lembranças da época de Paquito, ele lembra: "Meus melhores momentos, sem dúvida foram os shows ao vivo, quando tínhamos o contato com o público, tocávamos e cantávamos nossas músicas e sentíamos a energia que vinha da plateia. Isto era impagável. As viagens com os amigos e toda a parafernália da produção, dos músicos, pegar a estrada  . . . tudo inesquecível".
Ao perguntar para ele sobre como lidava com a fama e o assédio das fãs daquela época: "Fama é a parte do sucesso que voce  não queria, mas não sabia disto antes de apostar neste caminho.... Ao mesmo tempo que te dá benefícios, te priva de direitos fundamentais da liberdade humana. Por outro lado, a qualidade do assédio das fãs te comunica o quanto você é bem sucedido na proposta que leva ao público, além de massagear o ego, porque ninguém é de ferro também. De fato é um exercício de equilíbrio importante, nem sempre fácil pra quem é adolescente. Eu procurava sempre atender ao máximo, mas buscava de forma  gentil estabelecer os limites de minha liberdade".
Este ex Paquito ainda mantém contato com outros ex-integrantes: "Fiz alguns irmãos entre a banda. Principalmente o Marcelo e o Robson, com quem eu convivo de forma mais frequente. O Cláudio também é um grande amigo, mas nossas agendas não se equalizam muito bem e nos encontramos raramente. Gostaria de ter mais contato com ele, assim como o Yuri (que substituiu o Robson). Gosto muito de preservar as amizades. Os verdadeiros amigos, merecem nossa dedicação".
Sobre o que ele esta fazendo atualmente, Egon conta: "Hoje, com 44 anos tenho um trabalho também desafiador e fascinante! Sou um profissional da área de marketing e inovação. Depois de ter minha própria consultoria de marketing e de ter trabalhado em outras empresas, agora estou  há quinze anos em uma multinacional, na indústria de bebidas não alcoólicas, meu papel é pensar o que ainda não existe, o que será um sucesso no futuro. Lidero um time fantástico de muito talento, que me desafia intelectualmente e também tenho líderes inspiradores que me ajudam a exercitar os dois lados do cérebro e isto me fascina. Em alguns anos quero transferir o que puder de meu conhecimento para futuras gerações, ministrando pós graduações e palestras sobre inovação, e a arte de negócios emergentes, e assim contribuir para um mundo melhor, fazendo a minha parte. Isto se parece um pouco com um palco, em que o show é montado para transferir energia positiva para as pessoas, remontando as origens!"

Daniel Martinez: Ex- integrante dos Marotos


Daniel Martinez foi um dos integrantes dos Marotos nos 90s.
Sobre aquela época Daniel guarda boas lembranças:"Da época de maroto as lembranças são muitas viagens, hotéis, amigos..." diz Daniel.
Como ele lidava com o assédio das fãs: "Eu era muito novo, essa idade era fogo era muito namorador!"
Daniel diz não sentir falta da fama da época: "Falta da fama digo que não pois curti muito e sempre pensei que não seria para sempre". Este ex maroto ainda tem contato com outros ex-integrantes, principalmente com o Paulinho e o Marcelo que até hoje são seus amigos.
Ao perguntar para Daniel se ele gostaria de voltar para a carreira artística: "Quanto a voltar já pensei, mais hoje tenho prioridades e responsabilidades grandes com pessoas que dependem de mim, não posso mais me aventurar (risos)..."
Atualmente Daniel trabalha com vendas de autos e tem revenda em São Paulo na Zona Norte: "Sou muito feliz no que faço e é de onde conquistei as minhas coisas", afirma Daniel.

Didier Hernandez: Ex-integrante do grupo Menudo


Didier Hernandez foi um dos integrantes do grupo Menudo, ele entrou no grupo em 1995 e também foi um dos integrantes quando o grupo passou a se chamar MDO. Esteve sete anos nesta boyband internacionalmente reconhecida.
Entre as melhores lembrancas dessa época: "Só tenho boas lembranças. Poder realizar meus sonhos", diz Didier. Sobre a fama conquistada naquela época do Menudo: "A fama é um mito... realmente é que as pessoas reconheceram  o trabalho e conseguimos isso, e ainda se sente o respeito dos seguidores e do meio".
Atualmente Didier segue na música, e tem vários negócios relacionados também com a música.

Ubiracy Paraná do Brasil: Ex-integrante do grupo Mirage


Ubiracy Paraná do Brasil foi um dos integrantes do grupo Mirage entre 1991 e 1993. Ao sair do grupo cursou faculdade de Publicidade, abriu duas videos locadoras, estudou nos EUA e foi campeão brasileiro de Paraquedismo TR-4. Depois de 7 anos afastado da vida artítica, ele conta como foi voltando aos poucos…"Fui locutor de rádio e shows, me formei em teatro e comecei a fazer carreira em grandes musicais estreando em Les Miserables", diz Ubiracy.
Entre as melhores lembrancas da época do grupo Mirage, ele diz: "Eu praticamente só tenho boas lembranças daquela época. Foi tudo muito marcante. Eu tinha apenas 17 anos e o mundo se abria na minha frente… Mas posso ressaltar:  A gravação do LP que demorou quase um mês na Polygram que hoje se chama Universal e na época ocupava uma área enorme na Barra da Tijuca (RJ).  As apresentações nos programas de TV que aconteciam todas as semanas e nos proporcionava grandes oportunidades como gravar com a Xuxa, Angélica  (nos 2 programas que ela tinha na TV Manchete) e muitos outros grandes apresentadores. A amizade e cumplicidade que reinava no Grupo Mirage. A chance de exercitar nossa criatividade, pois nós criávamos grande parte de nossas roupas, coreografias e encenações, na música “No Balanço do Trem” sempre criávamos uma cena diferente que era usada em cada apresentação".
Ubiracy diz que ainda tem contato com os outros ex-integrantes: "Não muito frequente mas eu tenho. Na maioria das vezes por facebook ou telefone".
Atualmente ele esta em cartaz com o espetáculo “O que o Mordomo viu” de Miguel Falabella. Em tour após temporada em SP e estréia no RJ no día 31 de outubro.